Já está disponível a quinta edição da minha revista: SailBrasil Magazine – é gratuíta!

Já está disponível gratuitamente a quinta edição da minha revista SailBrasil Magazine… A vida é melhor em um veleiro! Esta revista é sobre muito mais do que vela e veleiros. Nela, quero discutir por que velejamos, entender as pessoas que curtem velejar, e abordar a relação que existe entre os seres humanos e o mar. É uma … More Já está disponível a quinta edição da minha revista: SailBrasil Magazine – é gratuíta!

Já está disponível a quarta edição da minha revista: SailBrasil Magazine – é gratuíta!

Já está disponível gratuitamente a quarta edição da minha revista SailBrasil Magazine… A vida é melhor em um veleiro! Esta revista é sobre muito mais do que vela e veleiros. Nela, quero discutir por que velejamos, entender as pessoas que curtem velejar, e abordar a relação que existe entre os seres humanos e o mar. É uma … More Já está disponível a quarta edição da minha revista: SailBrasil Magazine – é gratuíta!

Lançamento do meu 1º livro da série Contos de Vela SailBrasil Magazine: ”Soleone, para longe da costa” … é gratuíto!

Sinopse Após um ano de estágio estressante, Daniel finalmente perde o controle. Morando em São Paulo, ele tem trabalhado em dois empregos na tentativa de pagar por um estilo de vida que não pode bancar e impressionar chefes que não estão nem aí com ele. Após um ataque de ansiedade, pedem que ele tire umas … More Lançamento do meu 1º livro da série Contos de Vela SailBrasil Magazine: ”Soleone, para longe da costa” … é gratuíto!

Em vez de determinar com quão pouco podemos viver, identificamos do que não abrimos mão para viver

Hoje, adultos, não somos tão diferentes da criança que já fomos um dia. Se você vive em uma grande cidade, havendo passado os finais de semana da sua infância no litoral, é bem provável que continue migrando em direção à água, com sua família, para descansar. Se teve um veleiro na infância, espero que tenha … More Em vez de determinar com quão pouco podemos viver, identificamos do que não abrimos mão para viver