Envelhecendo com elegância

Já que possuir um carro é uma necessidade em São Paulo, cidade onde resido, posso adquirir um carro moderno ou posso querer algo que não apenas me leve de A à B, mas que também o faça enriquecendo de maneira única e prazerosa a minha vida… com um carro antigo.

Para alguns, a decisão de possuir um carro antigo é complicada (dinheiro, família, onde guardar etc.), para outros, não se questiona; é natural.

Isso porque, o vínculo emocional que formamos com um carro antigo simplesmente não pode ser reproduzido com um modelo moderno.


Jaguar XJ8 1999 estacionado em frente a uma bela casa “colonial portuguesa” em alguma rua do bairro Pacaembu – SP

Para mim, isso foi alcançado na forma de um Jaguar XJ8 (X308) 1999, um carro extremamente elegante, confortável e potente.

Antes deste, tive um Jaguar XJ6 1974 por 10 anos, mas o vendi porque, depois de fazer toda a sua mecânica, ainda havia tanto para restaurar em sua lataria e interior que ficou financeiramente inviável, contudo, eu sabia que nunca poderia viver sem o prazer de dirigir um verdadeiro clássico e, ao vender, já estava nos planos a compra de um “novo antigo”, contudo, desta vez, em excelentes condições mecânicas, de interior e de lataria.


Meu antigo Jaguar XJ6 1974 – Parece novo! … parece!

E o encontrei no início da pandemia de COVID-19 em 2020, em perfeito estado geral, inclusive, com somente 66.628 Km no odômetro.

Como qualquer proprietário de um carro “novo antigo”, a primeira tarefa na lista de “To do’s” é uma vistoria e revisão completa. Por sorte, conheço suficiente da mecânica Jaguar para poder fazê-la eu mesmo.

Contudo, recomendo para quem não possui habilidades mecânicas, imediatamente consultar um mecânico experiente na marca (Jaguar são carros tecnologicamente avançados e um mecânico “genérico” pode causar mais mal do que bem). Ter uma “consulta médica” (afinal é um animal… um Jaguar) com um doutor (mecânico) experiente na marca é fundamental para os proprietários de carros antigos já que, esses profissionais, na sua maioria, têm tanto orgulho em consertar e manter os modelos quanto os motoristas têm ao dirigi-los.

Além dessa vistoria inicial, como acontece com qualquer carro, é importante fazer uma inspeção anual de segurança do motor, suspenção, freios, pneus etc.

Apreciando seu carro antigo

A alegria de possuir um carro antigo é algo especial e individual. Eu tenho um apego emocional com meu Jaguar XJ8 que nunca teria com um carro moderno. Ao sair, preciso “sempre” perguntar a ele (é um jaguar … então é “ele”) como está se sentindo e o que deseja fazer. Nas manhãs frias de inverno, ele acorda devagar, enquanto nos dias escaldantes de verão, o motor pode superaquecer (nunca aconteceu com o XJ8 1999, contudo, com o XJ6 1974, superaquecimento era uma constante a ser monitorada).

Então, eu o trato com cuidado. Em uma era em que tudo é feito para ser conveniente, ao possuir um carro antigo, você deve ser capaz de apreciar toda essa falta de confiabilidade, da mesma maneira que faz com as peculiaridades, encantos e problemas de um parceiro(a) humano de longa data. Afinal, se você aprecia seu carro antigo, provavelmente nunca o venderá e ele envelhecerá com você, esperançosamente, sem problemas e com a mesma elegância de quando era jovem (você e o carro!).

Um destaque do Jaguar XJ8 1999 é que este possui apetrechos modernos suficientes para que não perca muito em tecnologia e conforto comparado a um carro moderno e, ainda assim, você dirige um carro com carácter e personalidade. É um carro extremamente prático, apesar do tamanho (hoje pequeno comparado aos SUVs).


Com meu Jaguar XJ8 1999 saindo de um evento em São Paulo.

Dirigindo seu carro antigo

Vivendo e dirigindo em São Paulo, cidade que é um incrível museu de carros antigos ao ar livre, alguns, em perfeitas condições, o meu Jaguar XJ8, pelo seu estado e conservação, também se destaca.

Contudo, independentemente do estado do seu carro antigo e, só para exemplificar, o meu Jaguar XJ6 anterior tinha massa “solta”, problemas na pintura e ferrugem por toda parte e, mesmo assim, o dirigia quase todos os dias. Não tenha vergonha, apenas o dirija… as pessoas não reparam nos problemas, ao contrário, inicialmente se surpreendem com a beleza do carro, o que gera uma lembrança, que vem na forma do sentimento que esse modelo em particular teve em um momento do seu passado. Nisso, o carro já passou e os defeitos não se perceberam, só sua beleza. Por isso, aproveite seu tempo dirigindo seu carro antigo… afinal, como sempre digo: carro parado é carro quebrado! Se não estiver quebrado, de ficar parado, vai quebrar…

E lembre-se; a maioria das montadoras modernas está “louvavelmente” correndo na direção de um futuro carro elétrico e de um modelo de carro mais verde, mais sustentável. Não é o caso dos nossos antigos, contudo, comprar um modelo antigo para cuidar, reformar e manter, se refere a um tipo diferente de sustentabilidade… uma que você desfrutará por muitos e muitos anos!

Por: Max Gorissen

Copyright: Todos os nomes e logotipos que identificam a Jaguar e o modelo XJ são marcas pertencentes à Jaguar Land Rover Limited.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s